"Precisamos de uma economia menos dependente dos bancos e mais enraizada na sociedade."

Desde que foi lançada em 2014 que a Bolsa de Empréstimos Raize pretende ser uma alternativa aos bancos no financiamento a micro e pequenas empresas: «Se todos investirmos 20 euros, podemos injetar mais de 100 milhões de euros na economia apoiando o investimento e o emprego. Este é o verdadeiro poder dos portugueses».

alt Afonso Eça, António Marques e José Maria Rego, nos escritórios da Raize em Lisboa, a primeira Bolsa de Empréstimos para PMEs.

O modelo é simples: em vez de serem bancos a financiar as empresas, são investidores particulares de todo o país que investem diretamente na economia real.

Em 2016, a Raize quer disponibilizar 5 milhões de euros para financiar micro e pequenas empresas portuguesas. «Temos um universo muito vasto de investidores nacionais que acreditam nas empresas portuguesas e querem apostar no seu sucesso. Estamos a falar das boas empresas portuguesas, porque quem está hoje no mercado teve necessariamente de se adaptar e inovar no seu negócio», refere José Maria Rego, co-fundador da empresa.

Temos um universo muito vasto de investidores nacionais que acreditam nas empresas portuguesas e querem apostar no seu sucesso.

«Investir na Raize não tem qualquer custo para o investidor. Os retornos, esses, são neste momento superiores a 6% (TANB média calculada com base no universo total de investidores) e é muito fácil diversificar o risco», explica Afonso Eça, co-fundador da Raize e Professor na Nova School of Business and Economics.

À data de hoje, a Raize já tem registadas mais de 1,000 empresas de todo o país, e conta também com mais de 4,000 investidores. Em 2015, a empresa foi eleita a Startup do Ano na Economia Digital pela ACEPI (Associação da Economia Digital) e considerada uma das 10 empresas mais inovadoras do país, no âmbito do Prémio Inovação NOS.

alt A Raize foi eleita Startup do Ano 2015 na Economia Digital pela ACEPI (Associação da Economia Digital)

«O modelo tem mostrado excelentes resultados no estrangeiro e é apoiado em larga escala pelas comunidades de pequenos empresários e investidores. Portugal, como sabemos, é um país de micro e pequenas empresas, muitas vezes com necessidades de financiamento de baixo montante. A nossa missão é continuar a apoiar estas empresas que são responsáveis por 40% do emprego em Portugal», adiantam os fundadores.

alt

Se todos investirmos 20 euros, podemos injetar mais de 100 milhões de euros na economia apoiando o investimento e o emprego. Este é o verdadeiro poder dos portugueses.

«Este é apenas o começo. Precisamos de uma economia menos dependente dos bancos e mais enraizada na sociedade – com as pessoas e as empresas a falar a mesma língua e a trabalhar na mesma direção. Se todos investirmos 20 euros, podemos injetar mais de 100 milhões de euros na economia apoiando o investimento e o emprego. Este é o verdadeiro poder dos portugueses», concluem os fundadores.


Sobre a Raize

A Raize é a primeira Bolsa de Empréstimos em Portugal, oferecendo uma alternativa de financiamento de baixo custo para micro e pequenas empresas com pelo menos 2 anos de atividade e uma situação financeira e tributária regular. Através da plataforma www.raize.pt, as pessoas emprestam diretamente às empresas, em condições mais favoráveis para ambas as partes.

Para os investidores, a Raize é uma alternativa que permite investir a partir de 20 euros e obter retornos acima de 6.0% (taxa calculada com base na TANB do universo atual de investidores). Não tem custos para investir e é muito simples de usar. Para as micro e pequenas empresas, que aqui podem pedir empréstimos até 150 mil euros, é uma alternativa à banca, mais rápida e mais barata.

Emprestar em micro e pequenas empresas é um investimento de risco que pode resultar na perda do seu capital. Esclareça todas as suas dúvidas antes de investir.