A retoma já começou e é preciso reforçar as fontes de financiamento das PME portuguesas.

Há várias anos que a economia portuguesas apresentava indicadores económicos positivos. Após o choque provocado pela crise pandémica, é expectável que economia portuguesa retome o seu crescimento em 2021. A "confiança dos empresários" é um fator importante para o investimento das PME e é preciso reforçar a capitalização das empresas e resiliência financeira, para apoiar na retoma e na recuperação da economia após um período marcado pela paralisação da atividade.



Comissão Europeia prevê um crescimento da economia portuguesa já a partir de 2021.

A Comissão Europeia perspetiva que a economia portuguesa retome o crescimento em 2021, atingindo o nível pré-pandemia no final de 2022. Nas suas previsões de inverno, a Comissão perspetiva um crescimento da economia portuguesa na ordem dos 4.1%, o qual se deve sobretudo pelo controlo gradual da pandemia e rapidez da vacinação em larga escala, pela diminuição da incerteza e o acelarar do consumo privado graças a poupanças historicamente elevadas dos cidadãos, custos de financiamento baixos e políticas económicas expansionistas. Estas projeções assumem que as restrições serão gradualmente retiradas a partir do primeiro trimestre deste ano com a recuperação a começar no segundo trimestre sendo esperada uma retoma significativa nos meses de verão.

PIB

Os prazos para a recuperação da economia variam entre setores e dependem também da recuperação dos principais parceiros comerciais do país, no entanto, os indicadores económicos revelam que grande parte das empresas já verifica uma variação positiva da evolução do volume de negócios. Há vários anos que a economia apresentava indicadores económicos positivos para os quais tinham contribuído a evolução positiva do investimento privado e das exportações, assim como da confiança dos consumidores e do clima económico (que mede a confiança dos empresários). Neste próximo ano, é preciso retomar o caminho do investimento e do crescimento para recuperar a confiança das empresas portuguesas.

Investimento das PME não pode parar em 2021.

De acordo com o INE as empresas portuguesas anteveem um aumento nominal do investimento em +3,5% para 2021, depois de ter recuado mais de 16% em 2020. Esta perspetiva do aumento do investimento empresarial será mais um garante para a recuperação e resiliência da economia em Portugal e oferece robustez às perspetivas de crescimento económico após o período de confinamento.

evolu--o-FBCF

No entanto, as PME (em particular as micro e pequenas empresas) continuam, de forma generalizada, com dificuldades em investir na sua atividade. A maioria das micro e pequenas empresas considera não ter, nesta fase, uma estrutura de capital adequada para realizar os investimentos previstos no início do ano, e muito devido à falta de financiamento.
investimento
O financiamento das PME continua a ser um dos principais entraves ao crescimento económico.

Numa fase de retoma, é importante desenvolver um plano para que a sua empresa esteja pronta para os próximos desafios. Apesar dos apoios públicos dispensados durante o período da pandemia e segundo dados de um inquérito promovido pela Confederação Empresarial em Portugal (CIP), 83% das empresas inquiridas consideram que os programas de apoio estão aquém ou muito aquém do que é necessário. O aumento significativo das solicitações, ou a insuficiência dos fundos, faz com que algumas aprovações possam ser um pouco mais demoradas, numa altura em que economia portuguesa não pode esperar.

O objetivo da Raize é promover uma economia mais enraizada na sociedade e menos dependente do sistema financeiro tradicional. Quantos mais financiadores tiver, mais flexibilidade e segurança dará à sua empresa para investir no futuro.

Equipa Raize


Estudos citados:

  • "Projeto Sinais Vitais - Expetativas face a um futuro próximo", Confederação Empresarial de Portugal e Marketing FutureCast Lab do ISCTE;
  • "European Economic Forescast: Winter 2021 (Interim)", Comissão Europeia;
  • "Inquérito de Conjuntura ao Investimento", Instituto Nacional de Estatítica;

Sobre a Raize

A Raizecrowd, Lda é uma entidade gestora de plataforma de financiamento colaborativo por empréstimo autorizada e supervisionada pela CMVM e a Raize - Instituição de Pagamentos, S.A. Sociedade Aberta, é uma instituição de pagamentos autorizada e supervisionada pelo Banco de Portugal com o nº 8711. A Raize - Instituição de Pagamentos, S.A. é uma sociedade aberta e cotada na Euronext Lisbon.